Conheça os 5 princípios da segurança de dados e como aplicá-los na sua empresa!

A tecnologia avança a cada dia e, de forma natural, nos adaptamos a diferentes formas de agir e organizar nossa vida. Um exemplo disso é a segurança de dados

Quando falamos nessa temática, nos referimos a diversos tipos de medidas de proteção que são utilizadas para assegurar a confiabilidade dos dados.

Relatórios, planilhas, listas e outros tipos de informações confidenciais ou não que foram reunidas durante um determinado tempo podem ser classificados como dados.

Assim, a segurança dessas informações é algo de extrema importância na gestão de negócios e deve sempre ser observada de perto. 

Caso haja algum risco com a segurança de dados importantes, grandes danos são causados, o que pode impactar negativamente a sua empresa. Apesar de ser algo essencial, ainda há muita informação desconhecida sobre esse assunto.

Quer entender mais sobre sobre segurança de dados e dicas de como aplicar na sua empresa? Então continue a leitura!

Os princípios da Segurança da Informação 

De acordo com um estudo feito pelo Laboratório de Inteligência e Ameaças, FortiGuard Labs, no primeiro semestre de 2022, o Brasil registrou 31,5 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos a empresas. 

Para adotar as melhores práticas na segurança dos dados da sua empresa é essencial entender e fazer com que todos os colaboradores compreendam os princípios da Segurança da Informação. 

São eles:

1. Confidencialidade

Também conhecido como o princípio da privacidade, ele está relacionado ao acesso de pessoas não autorizadas a determinada informação.

A confidencialidade, nesse sentido, tem como objetivo permitir apenas pessoas legitimamente autorizadas pelo proprietário ou que foram previamente autorizadas a terem acesso àquela informação.

Portanto, percebe-se a importância desse princípio, pois cumpre o papel de assegurar a privacidade do proprietário daquela informação. 

No mundo empresarial, o acesso a uma informação confidencial pode causar diversos problemas, tanto para a empresa quanto para as pessoas que usufruem do serviço prestado, que podem ter informações restritas expostas a pessoas não autorizadas. 

Um grande exemplo é a exposição de dados bancários, algo extremamente perigoso se forem revelados a desconhecidos. 

2. Integridade

A integridade diz respeito à condição dos dados que deve se manter inalterada durante sua transferência, de forma que não seja corrompida ou violada.

De acordo com o princípio da integridade, é direito do proprietário ter sua mensagem ou arquivo enviado de forma legítima. Independente se a informação for enviada acidentalmente, ela não pode ser alterada. 

Dessa forma, esse princípio é necessário ser aplicado para a segurança de informações. 

Por exemplo, ao informar dados bancários a outra pessoa, vírus ou malwares podem tentar alterar esses dados, o que irá resultar em transferência indevida. 

Por isso, é importante sistemas específicos para proteger documentos e informações que são inseridas em determinadas plataformas. 

3. Disponibilidade

A informação deve sempre estar disponível e acessível para os usuários autorizados. Dessa forma, os sistemas que armazenam e processam dados devem evitar ao máximo ficar indisponíveis por períodos longos de tempo. 

Temos vários exemplos de como essa indisponibilidade de serviços pode afetar o cotidiano das pessoas, como os aplicativos de banco. 

Hoje em dia é comum grande parte das pessoas não utilizarem com tanta frequência dinheiro impresso, devido às facilidades que um aplicativo ou o PIX podem proporcionar. 

Logo, quando estes softwares ficam inativos ou passam por algum tipo de manutenção prolongada, isso afeta diretamente a vida das pessoas que o utilizam, dificultando transações, compras e vendas.

4. Autenticidade

Como o próprio nome diz, esse princípio refere-se à confirmação de que a pessoa a qual está enviando a informação é realmente quem ela diz ser

Essa garantia pode e deve ser feita de várias maneiras. Um exemplo de autenticidade é a biometria, na qual você insere sua digital em determinado equipamento e consegue acessar informações devido a um cadastro anterior com sua digital. 

Além disso, os códigos enviados para o celular da pessoa autorizada via SMS é também uma forma de autenticação. Dessa maneira, informações confidenciais não são acessadas por outras pessoas que não tenham permissão. 

5. Irretratabilidade

E, por último, temos o princípio da irretratabilidade, também conhecido como não repúdio. Ele diz respeito a uma forma de certificar que determinada pessoa é responsável pela autoria de uma mensagem ou informação. 

Esse princípio vem sendo usado em vários contextos, por exemplo, para identificar pessoas que fazem ofensas ou ameaças por redes sociais, fazendo com que elas sejam indiciadas pelos seus crimes. 

Além disso, a utilização de tokens ou assinaturas digitais impede que outra pessoa tenha acesso e se responsabilize por determinados arquivos ou informações. 

E como aplicar as boas práticas de segurança de dados? 

Existem várias formas de proteger e cuidar dos seus dados. Às vezes, não nos damos conta da vastidão de documentos e arquivos importantes que uma empresa pode gerar no seu próprio dia a dia, não é mesmo?

Mas agora que já vimos os princípios da segurança de dados, vamos entender como aplicá-los na prática. Nesse sentido, é possível adotar vários meios que vão desde sistemas, softwares ou a utilização de backups. 

Confira agora algumas dicas para começar a proteger melhor os seus dados. 

Entenda como as leis funcionam 

Antes de começar a implementar várias coisas, é importante saber o que pode, o que não pode, seus direitos e todo o tipo de informação para ficar dentro da lei. 

Um grande marco em relação às leis protetivas no Brasil, em relação à segurança de dados pessoais, foi a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados).

Essa lei tem o objetivo de regulamentar o tratamento de dados pessoais no Brasil, tanto em meios físicos quanto digitais. 

Dessa forma, o cumprimento da legislação é a garantia da proteção dos direitos fundamentais de liberdade e privacidade de todos os cidadãos, por isso, é essencial estar por dentro. 

Além disso, a LGPD traz diversos benefícios para a empresa, como autoridade, credibilidade, segurança jurídica, entre outros. 

Crie uma política de segurança interna

Por meio dos resultados de uma pesquisa feita pelo Instituto Ponemon, apenas 39% dos colaboradores de uma empresa dizem realizar todas as medidas necessárias para proteger as informações da empresa.

Nesse sentido, uma ação importante é começar a elaborar uma política interna de segurança de dados que explique de forma acessível e clara todas as normas para o acesso e proteção de dados, para que todos os colaboradores entendam o porquê e como deve ser feito. 

Documentar essas informações e explicar de forma objetiva as regras, garante o sucesso na proteção dos dados em sua empresa, facilitando os processos na empresa e aumentando a segurança.

Supervisão dos acessos de colaboradores a informações

Depois que seus colaboradores compreenderem e começarem a aderir às regras e processos para a segurança de dados, cabe à empresa aplicar métodos para regular o acesso dos colaboradores às informações. 

Esse tipo de organização e planejamento pode evitar com que uma área interfira na execução de tarefas da outra, seja excluindo um arquivo importante ou trocando documentos importantes de lugar. 

Assim, ao limitar o acesso de determinados arquivos para usuários estratégicos, diminui a chance de vazamento de dados confidenciais e perda de arquivos.  

Backups são essenciais  

A perda de arquivos e documentos importantes é extremamente perigoso além de causar danos irreversíveis na empresa, por isso, deve-se prevenir e tornar fundamental o uso de backups no dia a dia da sua organização. 

Alguns exemplo de ferramentas de backup disponíveis no mercado atualmente são:

  • Azure Backup;
  • Amanda Community;
  • Bacula;
  • Cobian Backup;
  • Dropbox Business.

Os backups permitem que os dados da sua empresa sejam guardados em dispositivos externos ou servidores de armazenamento em nuvem. Assim, prejuízos com perdas de dados são evitados. 

Utilize SaaS

Uma grande vantagem é a utilização de SaaS (Software as a Service), que são softwares que possibilitam a entrega de um serviço através da internet.

Esse tipo de serviço vem crescendo cada vez mais nas empresas e já faz parte do nosso cotidiano, como por exemplo a própria Netflix, que é um serviço de streaming vendido por SaaS.

Outro exemplo é o Videnci, que permite às empresas a organizarem seus checklists, processos e monitoramentos de forma segura e totalmente digital, sem ter que se preocupar com vários documentos físicos e desorganização na empresa. 

Gostou do conteúdo? Não deixe de acompanhar nosso blog!

O digital veio para ficar e ajudar nas tarefas do dia a dia! Porém, assim como toda ferramenta de trabalho, é necessário um olhar atento para que tudo funcione da melhor forma possível. 

Não pense que a tecnologia dá muito trabalho ou que tem muito a ser feito, muito pelo contrário! 

Sistemas, serviços e softwares ajudam muito na evolução de uma empresa e, se a sua empresa deseja evoluir, é preciso estar por dentro das novidades do mundo digital. Ao acompanhar o blog do Videnci, você fica por dentro de assuntos como esse e muitos outros!

Obrigado por acompanhar e até a próxima!

About the Author: Videnci