Estamos no início de 2021 e é de extrema relevância tratar de um tema essencial na gestão de equipes: o papel do líder do futuro

A liderança, mais do que nunca, precisa ser colaborativa, positiva, motivacional e inovadora. 

De acordo com a pesquisa realizada pela Amcham com 37 executivos, consultores e profissionais, um líder deve ter a capacidade para fomentar o potencial criativo da equipe (78%), potencial analítico para enxergar novas oportunidades de mercado (68%), capacidade de organização e desenvolvimento de processos (43%) e potencial de mensuração e estabelecimento de métricas (22%).

Ainda, o líder do futuro deve ter uma capacidade inovadora e inspirar na sua equipe esse mesmo sentimento. Além disso, a liderança precisa ter propósito e engajar os profissionais em torno dessa narrativa. 

Aos novos líderes, não basta ser visionário ou inventor, como foram Thomas Edison e Steve Jobs; é preciso inspirar ação e mudança, ter sensibilidade, intuição e, acima de tudo, saber se relacionar para arregimentar soldados em torno de um propósito”, Venâncio Velloso, empreendedor e fundador da consultoria DIB (Digital Innovation Builders).

Tendo isso em vista, vamos ver a fundo algumas dessas características e como o líder do futuro interfere na gestão de equipes. Boa leitura!

4 características do líder do futuro 

Como falamos constantemente no nosso blog, a transformação digital já é realidade e as empresas precisam se adaptar. O mesmo ocorre com a liderança. 

Os modelos extremamente rígidos não são mais aceitáveis e podem gerar diversos malefícios, como a Síndrome de Burnout, a doença do esgotamento profissional. 

Dessa maneira, quais as principais competências de um líder nesse cenário cada vez mais digital? 

A TI Inside, portal sobre tendências e inovações em tecnologia e negócios do mundo digital, traz algumas dessas características.

Promover conexões

O líder precisa se conectar com o maior número possível de pessoas, exercitando a escuta ativa. 

Isso faz com que ele consiga coletar informações, refletir e gerar novos insights para a sua organização, avaliando caminhos a partir da comparação e observação dos resultados alcançados.

Criar um ambiente colaborativo

O líder do futuro deve incentivar a criação de grupos de discussão com seus liderados pois, além de conseguir novas soluções para os desafios do dia a dia, também gera um ambiente de engajamento e colaboração. 

Nesse sentido, Flávio Cirilo, executivo do sistema Unimed por 10 anos, afirma: “O líder do futuro já é um profissional colaborativo, que lidera pelo exemplo, que se faz presente e atuante com sua equipe e que está na linha de frente para qualquer novo desafio”.

Adotar metodologias ágeis

Ainda de acordo com o estudo da TI Inside, “a mentalidade ágil deve ser comum a todos e incentivada pelos líderes”. 

Dessa forma, a agilidade na organização ajudará a encurtar os ciclos de feedbacks, focando sempre no resultado e no bem-estar do profissional.

Falando em feedbacks, o livro A Regra é Não Ter Regras – Reed Hastings, explica a metodologia utilizada pela Netflix para desenvolver a cultura de feedbacks dentro da empresa. 

Os principais conceitos de como lidar com essa metodologia são:

1 – O primeiro passo é ter em mente que um feedback deve ser construtivo. Assim, um feedback claro sobre mudanças em comportamentos e seus efeitos são muito mais efetivos que críticas.

2- O segundo passo diz respeito a ações específicas. Isso significa que você pode ajudar o outro apontando exatamente em que ele pode melhorar.

3 – Agradeça. O ato de agradecer pelo feedback ameniza as reações emocionais naturais.

4 – Escolha aceitar ou descartar. Nem sempre um feedback será ouvido, e tudo bem. O importante é que o diálogo profissional aconteça da melhor forma possível.

Compartilhar estratégias e resultados

Toda estratégia deve ser compartilhada, assim como metas desejadas e resultados alcançados. Isso gera engajamento na busca pelo mesmo resultado em toda a organização.

Algumas metodologias, como OKR (Objectives and Key Results), ajudam na inclusão dos profissionais, os empoderando na busca por soluções. 

Quando falamos anteriormente sobre propósito, é justamente sobre isso: o compartilhamento de metas e resultados ajuda no engajamento dos colaboradores, criando um senso de união. 

Segundo Brendo Bremenkamp, diretor-executivo na Casa do Serralheiro, o “alinhamento de propósito começa na criação do negócio, é uma atividade viva que evolui junto com a maturidade das pessoas e da empresa”. 

Dessa forma, todos estarão trabalhando juntos em prol do mesmo objetivo. 

Líder do futuro e gestão de equipes 

Segundo uma pesquisa realizada pela Gallup, 70% do engajamento e produtividade dos funcionários está relacionado à qualidade do líder.

É por isso que a liderança está conectada diretamente à gestão de equipes. Um bom líder é capaz de motivar e fazer com que seu time alcance resultados incríveis. 

Dessa maneira, um líder deve saber como direcionar seus liderados sem desmotivar, tendo uma comunicação aberta com todos. 

Além disso, o líder do futuro é aquele que sabe lidar com a inovação e o ambiente tecnológico da melhor forma. Assim, escolher as melhores tecnologias para otimizar o trabalho da sua equipe também é uma ótima forma de exercer liderança. 

É por isso que sua liderança deve ser, essencialmente, inovadora. É preciso, portanto, entender o papel da tecnologia e melhorar o dia a dia do time através dela. 

Gostou do conteúdo?

No post de hoje mostramos o que um líder do futuro deve ter e a relação com a gestão de equipes. 

Para você continuar se aprofundando na temática, preparamos um material que explica como aumentar a produtividade de equipes com 3 dicas simples. 

Para acessar é só clicar aqui. Boa leitura!